EmpreendedorismoNegócios

BDMG se consolida como banco de impacto para o desenvolvimento sustentável

Resultados de 2021 demonstram que a instituição se torna mais forte, para apoiar a economia do estado e gerar benefícios para os mineiros

Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) avançou ainda mais em seu processo de consolidação como banco de impacto, ao encerrar 2021 com a presença em 793 dos 853 municípios do estado (93% do total), e levando suporte a quase 5 mil clientes privados e públicos.

“O impacto da atuação do Banco na economia mineira no ano é estimado em R$ 745 milhões, com estímulo de 21.900 empregos”, afirma o presidente do BDMG, Marcelo Bomfim.

No balanço consolidado de 2021, divulgado nesta terça-feira (29/3), o BDMG informa que desembolsou no ano quase R$ 2 bilhões (R$ 1.929.700.000), elevando o total de financiamentos realizados no período de pandemia para R$4,6 bilhões injetados na economia do estado, uma significativa contribuição para a recuperação e superação do cenário adverso gerado pela covid-19.

Eficiência e robustez

Marcelo Bomfim ressalta que o Banco opera, em 2022, com resultados e um nível de eficiência que oferecem base sólida no apoio ao desenvolvimento sustentável de Minas. Em 2021, o BDMG registrou lucro recorrente de R$ 142 milhões, como resultado da ampliação da sua carteira de clientes no ano anterior, aliada à gestão de provisões, controle de inadimplência e recuperação de créditos, além do efeito de indexadores econômicos.

“A importância do resultado robusto é a manutenção das linhas de impacto em condições diferenciadas”, afirma o presidente, referindo-se às taxas praticadas para segmentos como o das micro e pequenas empresas (MPEs), fundamentais para geração de desenvolvimento e valor para a sociedade mineira. “Dos 4.918 clientes atendidos em 2021, 92% são micro e pequenas empresas”, destaca Marcelo Bomfim.

Um dos motores da economia de Minas, o Agronegócio contou, em 2021, com 49% dos recursos desembolsados pelo BDMG, num total de R$949,9 milhões em financiamentos realizados, principalmente, por meio de linhas que utilizam recursos provenientes da emissão de títulos de LCA – Letras de Crédito do Agronegócio, do Funcafé e BNDES.

Municípios e ODS

A atenção direta aos municípios também mereceu destaque. Ao longo do ano, foram desembolsados R$ 91,8 milhões, para projetos de 203 municípios, sendo 93% do volume total alinhado a pelo menos um ODS – Objetivo de Desenvolvimento Sustentável. Além disso, foram realizados contratos com 261 municípios que somaram R$ 387 milhões. Desse valor, 46% serão destinados a 145 municípios com IDH menor que a média do estado, com taxas reduzidas.

O volume desembolsado para projetos de eficiência energética e energia renovável foi 52% superior ao registrado em 2020, totalizando R$ 169 milhões. Os projetos de energia renovável para energia solar fotovoltaica (geração distribuída e autoconsumo) e hidrelétricas de pequeno porte alcançaram o montante de R$ 123,6 milhões, 26% superior a 2020. Do montante desembolsado para a geração de energia solar fotovoltaica, 44% se destinaram ao Norte de Minas.

Mais informações sobre Capital de Giro, acesse: https://linktr.ee/girobdmg

 

#girobdmg #bdmg #bancobdmg #capitaldegiro #energiafotovoltaica

Posts relacionados
Negócios

Programa gratuito ajudará 300 projetos de empresas em fase inicial

NegóciosTecnologia

Palestras vão discutir oportunidades de negócios no mercado de games, na ExpoLondrina

Negócios

Planos de saúde são obrigados a oferecer sites para clientes

GestãoNegóciosTecnologia

Maior feira de tecnologia do mundo começa hoje em Brasília

Assine nossa Newsletter e
mantenha-se informado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Captcha loading...