Hot NewsVideo News

Gab atrás de US$ 10 milhões para descentralizar e usar o ‘dinheiro da liberdade de expressão’ Bitcoin

A plataforma de rede social Gab quer levantar US$ 10 milhões em uma rodada de crowdfunding de Série A para poder descentralizar sua infraestrutura e integrar os pagamentos de Bitcoin (BTC) e Lightning Network.

Fundado em 2016, o Gab ganhou notoriedade devido a uma percepção de que ela serve como uma “câmara de eco” para exibições da “alt-right” ou “extrema-direita”, já que recebe usuários que foram banidos de sites como Twitter e Facebook por alegadas violações das regras do discurso de ódio.

Mais amplamente, o site tem como alvo uma base de usuários de inclinações libertárias, nacionalistas, populistas ou conservadoras – ou qualquer um que discorde das medidas de filtragem de conteúdo, antidesinformação e coleta de dados impostas pelas plataformas tradicionais ou “Big Tech”.

Há muito que o Gab apresenta seu apoio à cripto como um dos três pilares da empresa – sendo estes a maximização sem remorso em relação à liberdade de expressão, o Bitcoin e a liberdade.

Em seu anúncio de campanha, o Gab observa que aceitou doações de Bitcoin – caracterizadas como “dinheiro da liberdade de expressão” – desde 2016, mas que tem sido deixado “sem plataforma” por processadores de pagamento que incluem Paypal, Stripe, Coinbase, Square, Bitpay e outras:

“Nossos planos […] são integrar o Bitcoin e o ferramental da Lightning Network do Bitcoin em nossa linha de produtos de liberdade de expressão para capacitar nossos usuários a facilitar o comércio, dar dicas uns aos outros e ficarem mais livres da censura e controle corporativos.”

Caso consiga arrecadar os fundos, o Gab lançará uma arquitetura de rede social de código aberto, que é totalmente descentralizada, o que significa que qualquer um pode participar de um grupo de servidores federados de publicação na web.

Também foi lançado um novo navegador “de código aberto, orientado para a liberdade” Dissenter Web Browser, que conta com bloqueador de anúncios e uma Extensão de Comentários nativos. Além de contar com funcionalidade de carteira Bitcoin e Lightning Network integradas, o Gab afirma que o Dissenter pode impedir o rastreamento “Big Tech” que acontece na rede convencional.

De acordo com sua campanha de crowdfunding, o Gab.com tem quase 1 milhão de usuários registrados, com seus cinco principais mercados sendo os Estados Unidos (51%), Brasil (10%), Reino Unido (6%), Canadá (6%), e Alemanha (6%) em 2019.

O aplicativo do Gab foi notavelmente banido pelas lojas Apple App Store e Google Play.

Conforme relatado recentemente, foi reportado que o Gab estava usando o aplicativo Cash da Square, empresa de pagamentos baseada nos Estados Unidos, em janeiro de 2019, para realizar transações e receber doações em Bitcoin (BTC) – antes de sua exclusão do serviço.

Assim como declaradamente encerrou a conta pessoal do cofundador do Gab, Andrew Torba, a Coinbase também fechou a loja de mercadorias de conta mercantil da publicação internacional sem fins lucrativos anônima WikiLeaks em abril desta ano, alegadando uma violação de termos de serviço.

Fonte

Posts relacionados
Hot NewsTrending

Fundação Stellar vai distribuir R$ 500 milhões da criptomoeda XLM em rede social

Hot NewsTrending

Clientes pressionam Unick Forex sobre falta de pagamentos em evento da empresa

Hot NewsTrending

Órgão internacional contra lavagem de dinheiro vai coletar dados de quem tem criptomoedas

Hot NewsTrending

Banco do Brasil paga R$ 683 milhões por carteira de crédito do Banco Votorantim

Assine nossa Newsletter e
mantenha-se informado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha loading...