Brasil

Ponte Aérea Rio-São Paulo testa reconhecimento facial em passageiros

O Projeto Embarque+Seguro 100% Digital já foi testado em 4 aeroportos

Os passageiros da Ponte Aérea Rio-São Paulo participam, simultaneamente, hoje (15), no Aeroporto de Congonhas, na capital paulista, e no Aeroporto Santos Dumont, na capital fluminense, de um teste para o embarque com o uso de reconhecimento facial, sem a necessidade de apresentar cartão de embarque e documento de identificação. A ligação aérea entre essas duas capitais é a quinta de maior movimento no mundo.

O projeto Embarque + Seguro 100% Digital, desenvolvido do Ministério da Infraestrutura, em parceria com o Serpro e a Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, já foi testado nos aeroportos de Florianópolis, Salvador, Rio de Janeiro (Santos Dumont) e Belo Horizonte (Confins). É a primeira vez em que os passageiros desse trecho testam, ao mesmo tempo, o sistema de tecnologia de ponta a ponta.

Ao longo do dia, passageiros da Azul Linhas Aéreas que se deslocarem entre os aeroportos de Congonhas e Santos Dumont serão convidados, no momento do check-in, a experimentarem a tecnologia de reconhecimento biométrico facial para acessar as áreas de embarque e as aeronaves nos dois terminais. Quem concordar, recebe uma mensagem no celular solicitando autorização para obtenção de seus dados, incluindo o CPF e uma foto.

Depois que o passageiro consentir, o atendente da companhia aérea realiza a validação biométrica do passageiro utilizando o aplicativo do Serpro, que compara os dados e a foto tirada na hora com as informações armazenadas nas bases do governo. Assim que validado, o passageiro é liberado para entrar na sala de embarque e no avião, passando pelos controles biométricos, feito por meio de câmeras. O passageiro não precisa mais apresentar documentos.

De acordo com informações do ministério, no projeto-piloto são medidos indicadores como redução no tempo em filas, no acesso à sala de embarque e à aeronave e custos de operação. O objetivo do governo federal é, após a aprovação do projeto-piloto, implantar a tecnologia, que torna processo de embarque mais eficiente, ágil e seguro, nos principais aeroportos do país.

Segundo o Serpro, a ferramenta garante uma conferência precisa da identidade dos passageiros e atende à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e tem por premissa a segurança no tratamento dos dados pessoais contra uso indevido ou não autorizado.

Posts relacionados
Brasil

Conjuve lança segunda edição do programa Juventude Empreendedora

Brasil

Câmara pode votar projeto que autoriza compra de vacinas por empresas

Brasil

Fachin anula condenações de Lula na Lava Jato

Brasil

Entenda as mudanças da PEC Emergencial

Assine nossa Newsletter e
mantenha-se informado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha loading...